Cafés Cru Certificados

  • CAFÉS BRASILEIROS PREMIUM,RASTREAVEIS COM CERTIFICADOS UTZ, RAINFOREST ALLIENCE, 4C E FAIRTRADE

      ARÁBICAS

    • SANTOS NY 2/3 – SCREEN 17/18  – SSFC
    • SANTOS NY 2/3 – SCREEN 14/16  – MTGB
    • SANTOS NY 2/3 – SCREEN  17/18 – GC 
    • SANTOS NY 2/3 – SCREEN  17/18 – GC 
    • GRINDERS – GC  

      ROBUSTA – CONILON

    • RIO MINAS SCREEN 17/18 
    • RIO MINAS SCREEN 14/16
    • RIO MINAS GRINDER 

      DECAF

      • PROCESSO DESCAFEINADO

    Cloreto de Metileno (CM) ou KVW (Kaffee Veredelugs Werk), também chamado de Método Europeu de descafeinado, é um processo de descafeinação que usa um solvente para descafeinar o café. O café é mergulhado em água quase fervendo, depois lavado com Cloreto de Metileno (as partículas de MC se unem às moléculas cafeinadas do café), então, o solvente de CM é removido e, finalmente, os grãos do café são reintroduzidos de volta no líquido para reabsorver o óleo e sabor dos grãos do café. Esse processo de descafeinação foi considerado seguro nos Estados Unidos pelo Food and Drug Administration.

    .

  • UTZ CERTIFIED

    O Brasil é o maior produtor mundial de cafés certificados. O país é também o maior fornecedor de cafés CERTIFICADO UTZ. Em 2010, por volta de 1 milhão de sacos de cafés certificados UTZ foram exportados do Brasil.

    De todos os Cafés Certificados UTZ vendidos mundialmente, 38% são do Brasil, 22% são do Vietnã e 18% de Honduras. O interesse do mercado internacional e interno em cafés certificados aumenta cada vez mais, realçando a importância das certificações de sustentabilidade.

  • RAINFOREST ALLIANCE CERTIFIED

    Cafés certificados RAC estão no Brasil desde 2003, a área e volume de cafés certificados no Brasil tem crescido substancialmente, o que causa mudanças ambientais e de gerenciamento de fazendas. Em 2014, o Brasil produziu um total 2.736.855 milhões de sacas de 60kg. As fazendas do Cerrado de Minas Gerais destacam-se como a maior fonte de produção de cafés Certified Rainforest Alliance do Brasil, somando 61% do total – só o Sul de Minas atinge 19% dessa produção.

  • FAIRTRADE FOUNDATION CERTIFIED

    – Fazendeiros em 30 países produzem de acordo com padrões Fairtrade.

    – 80 por cento dos cafés Fairtrade vêm da América Latina (maioria da Colombia, Brazil, Peru, Nicaragua e Costa Rica), encontramos fazendeiros de café Fairtrade também em

    países como Uganda, Tanzânia e Costa Rica.

    – Em 2013, 14 fazendeiros receberam $52 milhões em fundos Fairtrade Premium.

    – Fazendeiros Fairtrade cultivam grãos de café Arábica mais suaves, mais caros e Robustas (mais fortes e mais baratos).

    – O Café Fairtrade é o produto favorito entre os consumidores, representando 25 por cento de todas as vendas do varejo.

  • 4C ASSOCIATION

    O projeto 4C é um código de conduta desenvolvido pelo setor do café. Ele se baseia na observação de 28 princípios e na exclusão de 10 práticas não aceitáveis, como por exemplo, o trabalho infantil.

    O projeto 4C (Código Comum para a Comunidade do Café) foi iniciado em 2003 pela Associação Alemã de Café (DKV) e pelo desenvolvimento Alemão de cooperação, e é constituído por representantes da indústria do café, produtores, sindicatos do comércio, ONGs, organizações de certificações e instituições internacionais.

    Antes de seu estabelecimento oficial em 2006, esse grupo finalizou um código de conduta inspirado diretamente pelas metas Millennium das Nações Unidas. Ele foi  planejado para fornecer aos operadores da cadeia de marketing do café uma vida e um trabalho com métodos sustentáveis, dimensões econômicas, ambientais e sociais.